Vinhos para o Outono

março 24, 2018

(Por Alexandre Takei)

Estamos chegando ao fim de março e nos despedindo de mais um Verão. Não que isso signifique muita coisa em Salvador, mas como vocês já notaram, começa a cair uma chuva forte (ah, as águas de março!) e o calor inclemente dá uma aliviada. Outro dia bateu 23 graus no termômetro de rua, minha gente!

Quando a gente fala em vinhos para o verão, é muito fácil: brancos, espumantes e rosés leves logo vêm à mente.  No caso dos vinhos de inverno também: tintos encorpados, vinho do porto e por aí vai… Mas e no caso das estações intermediárias, como o outono? Com que vinho eu vou?

Parece complicado, mas não é: o outono é uma estação curinga, que dá espaço tanto a vinhos tintos quanto brancos. É só pensar que uma época mais fria pede vinhos um pouco mais encorpados.  Até na hora de harmonizar com comida a mudança de tom combina. Numa estação um pouco mais fria, vamos querer alimentos um pouco mais pesados, aquela comida reconfortante que pede um vinho mais estruturado.

Nos aromas do vinho, a exuberância das frutas pode dividir espaço com notas amadeiradas, como baunilha e especiarias doces. Para fazer uma comparação, pense que, no calor, a gente prefere comer salada de frutas e, no frio, fondue de chocolate. Não faz sentido? 😉

Mas aí vem a dúvida: quais vinhos escolher?

Entre os brancos, procure por uvas como:
– Chardonnay, de preferência  com alguma passagem em barricas, de qualquer lugar do mundo.
– Viognier, no norte  do Rhône, sul da França, mas também alguns exemplares nas Américas e Austrália.

Entre os tintos:
– Merlot, principalmente do Chile, se você busca um bom custo x benefício.
– Vinhos à base de Tempranillo da Região espanhola da Rioja, com suas notas amadeiradas.
– Vinhos à base de Garnacha/Grenache, vindos de regiões espanholas como Calatayud, ou de Côtes du Rhône, na França, com muita fruta e maciez.
-Chianti: clássico tinto da Toscana, para quem procura uma opção com acidez e vocação gastronômica. Se o bolso permitir, procure a versão “Clássico”.
Quer uma  indicação? Olha só algumas coisas bem interessantes que provei por aí! 😉

Brancos:
Tarapacá Gran Reserva Chardonnay: com este chileno, espere por corpo e untuosidade sem abrir mão da acidez. Aromas de pêssego e abacaxi com uma nota presente de baunilha e tostado. (aprox. R$ 90 no Almacén Pepe)

Vinhos para o Outono - Onde Comer em Salvador

Luigi Bosca Gala 3: esse argentino é pra uma ocasião especial! Corte que une o perfume floral e de nectarina da Viognier, a estrutura e notas tostadas do Chardonnay estagiado em barricas com suporte da acidez da Riesling. Vinho lindíssimo. (R$ 174 na Enoteca Decanter)

Vinhos para o Outono - Onde Comer em Salvador

Tintos:
Menguante Garnacha: espanhol super aveludado, com muita fruta vermelha, um toque de cravo e excelente custo x benefício! (R$ 64 na Grand Cru)

Vinhos para o Outono - Onde Comer em Salvador

Vinhos para o Outono - Onde Comer em Salvador

Finca Costanillas Rioja DOCa: outro vinho da espanha, com muita cereja e ameixa, mesclados a toques de madeira, como tostado, baunilha, pimenta do reino e café. Super equilibrado, com taninos bem firmes, mas macios. (R$ 89 na Grand Cru)

Quer mais dicas? Siga nosso Colab Sommelier @alexandretakei no Instagram.