Mitos do vinho: vinhos com tampa de rosca são de baixa qualidade?

agosto 6, 2018

Você certamente já viu alguém, numa reunião de amigos ou no salão de um restaurante, torcendo o nariz para um vinho que não é vedado com rolha, e sim com aquelas tampas de rosca, chamadas de screwcap. Afinal, vinho bom tem rolha de cortiça, certo?
Não é bem assim! =D

O screwcap é uma vedação alternativa usada pela primeira vez na França, em 1959, mas que ganhou realmente o mundo nos anos 2000, quando produtores da Austrália e Nova Zelândia começaram a utilizar essa tecnologia em seus vinhos.
E não é à toa. As tampas de rosca apresentam uma série de vantagens:
1 – A mais óbvia: você não precisa de um saca-rolhas para abrir a garrafa! Ideal para aquele piquenique de última hora!
2 – Rolhas são um recurso limitado: a cortiça vem da casca de uma árvore chamada sobreiro, nativa e quase exclusiva de Portugal. Com o aumento da produção e consumo de vinhos no mundo, simplesmente não temos oferta do material para vedar todos os vinhos.
3 – Elas são excelentes para proteger o vinho do contato com o oxigênio, o que é ideal para a conservação de vinhos tintos e brancos para consumo imediato.
4 – O screwcap reduz a quase zero o risco do chamado “defeito de rolha”, uma contaminação normalmente presente nas rolhas de cortiça, que deixa o vinho com cheiro de mofo!
Eu entendo que existe todo o charme da abertura de um vinho com rolha de cortiça…mas com tantas vantagens, não vale a pena dar uma chance?
Então experimente esse Amalaya Blanco de Corte (Enoteca Decanter – R$ 83), um vinho branco jovem e muito aromático Frutado, floral, super equilibrado, com ótimo custo-benefício e, de tão bom, foi premiado com 95/100 pontos no Decanter World Wine Awards, um dos mais conceituados concursos de vinhos do mundo!

Por: @alexandretakei

IMG_8855